Chicago History Museum

Chicago History

Museum

 

Começamos nosso passeio por Chicago pelo museu histórico da cidade.

 

Chicago History Museum
Chicago History Museum
Chicago History Museum
Chicago History Museum
 Foi uma boa introdução e nos ajudou, por exemplo,  a entender como o grande incêndio de 1871 destruiu grande parte da cidade. De acordo com a lenda, Catherine O’Leary, uma pobre imigrante irlandesa, viveu com seu marido e 3 filhos no sudoeste da cidade. Mrs O’Leary criava muitas vacas e vendia o leite. Uma das vacas teria acidentalmente iniciado o incêndio no celeiro. Uma investigação oficial não foi capaz de confirmar a causa do incêndio, mas Mrs O’Leary foi o bode expiatório para o desastre por mais de um século. Finalmente, em 1997, a cidade de Chicago adotou uma resolução formal absolvendo Catherine O’Leary – e sua vaca – de qualquer culpa relacionada ao incêndio.
A cidade atraiu arquitetos de renome e foi rapidamente reconstruída. Foi desenvolvido um plano de desenvolvimento urbano e hoje a cidade é reconhecida internacionalmente por sua arquitetura. Em 1885 foi construído o primeiro arranha-céu de metal, e em 1890 Chicago já era a segunda maior cidade dos Estados Unidos, atrás apenas de Nova Iorque.
Em 1920, Chicago e seu subúrbio eram dominados por gângsters. A fabricação e venda de bebida alcoólica era ilegal – e lucrativa. Gangsters de Nova Iorque (Johnny Torrio e Al Capone) se mudaram para a cidade e organizaram gangues brutais, interessados no tráfico de bebida alcoólica, prostituição, jogo e extorsão. Em 1929, depois do massacre de St. Valentine’s Day, os habitantes de Chicago exigiram que as autoridades finalmente tomassem uma atitude.

 

Chicago History Museum
Chicago History Museum

 

O museu fala ainda dos esportes da cidade, das artes, da comida, … Mergulhamos em sua história e cultura, o que nos ajudou a entender a alma de Chicago.
O ingresso dá direito a um tour auto-guiado. Mas é necessária uma boa dose de concentração e curiosidade, além de algum domínio da língua inglesa. Crianças ficariam entediadas aqui.
E você, conhece o museu? Ou esse tipo de visita não é a sua “praia”? Conta pra gente! 

 

Chicago: CityPASS ou Go Chicago Card?

Chicago:

CityPASS ou

Go Chicago Card?

 

Sempre que visitamos os Estados Unidos, a primeira coisa que pesquisamos são os dois passes, que existem não só em Chicago mas em muitas cidades turísticas de lá. A lista de atrações de cada uma nos auxilia, inclusive, a conhecer o que a cidade tem de mais representativo para mostrar.
Vamos conhecê-los?
Chicago CityPass:
Chicago Citypass
O ingresso inclui:
1
Shedd Aquarium
2
Skydeck Chicago
3
The Field Museum
4
Museum of Science and Industry   OU   360 CHICAGO
5
Adler Planetarium   OU   Art Institute of Chicago
Duração:
O voucher pode ser trocado pelo talão em até 6 meses após a data da compra. E o talão tem validade de 9 dias a partir do primeiro uso.
Como comprar:
No site ou em uma das atrações contempladas. Se comprar online você pode imprimir o voucher ou baixar o aplicativo. O voucher, tanto o impresso quanto o apresentado em dispositivo móvel, deve ser trocado pelo talão na primeira atração visitada. Há ainda a opção de solicitar que o talão seja enviado ao seu hotel nos Estados Unidos ou Canadá.
Go Chicago Card:

Go Chicago Card

O passe do smartdestinations oferece várias opções de compra, e pode ser “moldado” de acordo com seus interesses.
A opção mais comum é a “All-Inclusive”, na qual você paga pelo número de dias em que quer usar (1, 2, 3 ou 5) e escolhe, em uma lista de 26 atrações, o que quer visitar. Você pode conhecer quantas conseguir no tempo comprado. Após o primeiro uso o passe deve ser usado em dias sequenciais.
A segunda opção é a “Explorer”, na qual você pode escolher 3, 4 ou 5 atrações quaisquer numa lista de 25 opções. Após ativação do passe, ele é válido por 30 dias.
A última opção é a “Buid Your Own”. De uma lista de 27 atrações, podem ser escolhidas quantas você quiser. A partir de 2 há um desconto para cada uma que pode ser de 15 a 25%, dependendo do número escolhido. Também válido por 30 dias a partir da ativação.
Duração:
A duração do passe varia dependendo do tipo escolhido, e está descrita acima. A empresa tem uma política de garantia de risco zero: se por alguma razão o passe não for ativado em 1 ano após a compra eles reembolsam o valor inteiramente, sem questionamentos. Pelo menos é o que dizem! Rs
Como comprar:
No site. Não há necessidade de trocar o voucher. O passe pode ser impresso em casa ou apresentado no dispositivo móvel em cada atração.

 

Mas afinal qual escolher?
 O melhor passe depende do tempo que você tem para conhecer a cidade e do que quer conhecer. Nossa estratégia é listar o que nos interessa, colocar o preço de bilheteria e quanto sairia com cada passe e comparar. Se o valor for parecido damos preferência ao Go Card, já que possui uma lista maior com atrações que, mesmo não estando em nossa lista original, podem ser visitadas sem custo. Além disso, inclui de aluguel de bicicleta a passeios de barco, além das entradas.
Nossa opção foi o Go Chicago Card All-Inclusive de 5 dias. Foi ótimo! A única ressalva foi a falta do “fura-fila” no SkyDeck Chicago (Willis Tower). Amargamos 1 hora na fila enquanto víamos os portadores do CityPass passarem direto!
O CityPass oferece entrada vip em todas as atrações. O Go Card em muitas delas. Mas, com o tempo que tínhamos e tudo o que queríamos conhecer, ainda acho que foi a melhor opção. Quase tivemos que diminuir a viagem por compromissos de trabalho e, se isso tivesse acontecido, o CityPass seria o mais adequado.
Qual passe funcionaria melhor para você? Conta pra gente!

 

Chicago – Roteiro de Viagem

Chicago – Roteiro de Viagem

Chicago –

Roteiro de Viagem

 

O que conhecer em Chicago? Chicago é uma grande cidade, a terceira mais populosa dos EUA, atrás apenas de Nova York e Los Angeles. É pouco visitada por brasileiros, mas tem atrações para todos os gostos e idades.
Chicago skyline - Foto do Wikitravel
Chicago skyline – Foto do Wikitravel
Viajamos sozinhos (mamãe e papai) dessa vez, mas a cidade tem muito mais a oferecer às crianças do que imaginávamos.
Aproveitamos muito essa mini lua-de-mel, conhecemos mais coisas do que conseguiríamos com a tropinha (viajar com 4 crianças exige um roteiro mais calmo, com mais tempo entre e durante as visitas – “mãe, quero ir ao banheiro”, “pai, tô com fome”- rs). Mas nós nos pegamos várias vezes comentando como um gostaria de ver isso, ou outro de fazer aquilo.
Ficamos na cidade por 3 dias inteiros, mais os dias de chegada e partida. Compartilhamos aqui nosso roteiro, esperando poder ajudar a programar o seu.
Nos próximos posts contaremos um pouquinho de cada atração que visitamos. Os horários entre parênteses indicam o horário de funcionamento de cada uma, na primavera, estação em que visitamos a cidade. Ter essa informação a mão é bastante útil se você gostar do que estiver visitando, e quiser ficar um pouquinho mais sem perder as outras. Ou se gostar tanto que precisará reorganizar os outros dias, incluindo o que não conseguiu fazer naquele!
Os horários previstos para cada atração servem apenas para ajudar a programar o roteiro e ter uma ideia, no dia, se vai dar pra seguí-lo. Algumas vezes acertamos, outras erramos feio! Não nos prendemos a ele. Incluímos lugares que não estavam previstos inicialmente, tivemos que deixar outros para outra visita. Faz parte da liberdade da viagem. Mas, com certeza, conseguimos aproveitar melhor nosso tempo assim. Venha com a gente e boa viagem!
Dia (sex):
13h- Chicago History Museum (9:30-16:30h). Almoço no cafe?
16h- Conservatory (9-17h), Lincoln Park, zoo (6-23h)
Dia (sab):
9h- Hop-on Hop-off (9-17h)
9:10h- Willis Tower (9-22h)
10:40h- Art Institute of Chicago (10:30-17h)
14:40h- Fazer tour do ônibus até the Water Tower (+/-50min)
15:40h- 360 Observation Deck (9-23h)
17h- Andar até Navy Pier (30min). Trocar ingresso Lake Tour.
17:30h- Conhecer Pier. Rides.
18:30h- Classic Lake Tour (10:30-19:30h)
19:30h- Assistir show de fogos. Jantar
22h- Pub
Dia (dom):
10h- Pegar bicicletas (9-22h)
10:30h- The Field Museum (9-17h). Almoço
14:30h- Adler Planetarium (9:30-16:30h)
15:40h- Shedd Aquarium (9-18h)
17:30h- Millennium Park. Buckingham Fountain. Cloud Gate. Pic-nic?
21h-  Jantar num bar de blues.
Dia (seg):
10h- Robie House (9:30-16:30h)
12h- Museum of Science and Industry (9:30-16h)
Dia (ter):
Compras e embarque.
']); _gaq.push(['_trackPageview']); (function() { var ga = document.createElement('script'); ga.type = 'text/javascript'; ga.async = true; ga.src = ('https:' == document.location.protocol ? 'https://ssl' : 'http://www') + '.google-analytics.com/ga.js'; var s = document.getElementsByTagName('script')[0]; s.parentNode.insertBefore(ga, s); })();